R$149,00

Cartão de Crédito
5 x de R$29,80 sem juros
7% de desconto pagando com Pix
Ver mais detalhes

Entregas para o CEP:
Frete grátis a partir de
Frete Grátis: Calcule o prazo
Ok
Não sei meu CEP
Descrição
Edição: 3ª Edição
Publicação: 04/2024
Páginas: 292 páginas
Capa: Brochura
Peso: 0.500g
Dimensões: 16 x 23 cm
Ver páginas

Apresentamos ao(à) leitor(a) a terceira edição do primeiro livro que foi escrito no Brasil tratando especificamente do tema “recursos eleitorais cíveis e criminais”. Da atenta leitura dos julgados do TSE, constamos, com pesar, a quantidade de recursos não recebidos por serem intempestivos ou por erro grosseiro na escolha da via de impugnação eleita, enfim, equívocos que denotam a ausência de conhecimento do desenvolvimento teórico dos recursos eleitorais.

O livro "Recursos Eleitorais Cíveis e Criminais (2024)" é uma obra indispensável e atualizada para as Eleições 2024, incorporando a legislação em vigor e as Resoluções do TSE específicas para este pleito, além da jurisprudência recente do STF, TSE e TREs.

Escrito pelos renomados autores Francisco Dirceu Barros e Janiere Portela Leite Paes, este livro oferece uma análise abrangente e prática do sistema de recursos eleitorais no Brasil.

Principais destaques da obra:

  • Cobertura completa dos recursos eleitorais, tanto no âmbito cível quanto no criminal.
  • Análise detalhada da teoria e aplicação prática dos recursos eleitorais.
  • Identificação e abordagem de erros comuns que podem levar à rejeição dos recursos.
  • Orientações claras para evitar armadilhas processuais.
  • Fonte valiosa de conhecimento e orientação para profissionais do direito eleitoral, incluindo promotores, advogados e juízes eleitorais.
  • Modelos Práticos de Recursos Eleitorais Cíveis e Criminais

Obra atualizada para as Eleições 2024, incluindo legislação vigente e Resoluções do TSE editadas para as Eleições 2024, assim como jurisprudência recente do STF, TSE e TREs.

Recursos Eleitorais Cíveis e Criminais (2024) é o guia definitivo para os profissionais do direito eleitoral.

Escrito por Francisco Dirceu Barros e Janiere Portela Leite Paes, esta terceira edição é um recurso indispensável, oferecendo uma análise aprofundada e atualizada do complexo sistema de recursos eleitorais no Brasil.

Neste livro abrangente, os autores destacam não apenas a teoria por trás dos recursos, mas também sua aplicação prática, fornecendo uma compreensão abrangente das nuances tanto no âmbito cível quanto no criminal.

Com uma abordagem meticulosa dos julgados do TSE, os autores identificam e abordam os erros comuns que muitas vezes levam à rejeição dos recursos, oferecendo orientações claras para evitar essas armadilhas.

Profissionais do direito eleitoral, sejam promotores, advogados ou juízes eleitorais, encontrarão neste livro uma fonte valiosa de conhecimento e orientação.

Em um mercado editorial carente de recursos especializados neste campo específico, "Recursos Eleitorais 2024" preenche essa lacuna de maneira abrangente, reunindo toda a teoria e prática dos recursos eleitorais em um único volume acessível e indispensável.

Para quem é destinada o livro Recursos Eleitorais para as eleições de 2024?

Este livro é destinado a promotores, advogados e juízes que trabalham diretamente com eleições, além de acadêmicos e estudantes de direito que buscam aprofundar seus conhecimentos em recursos eleitorais. A obra serve como um recurso fundamental para aqueles que necessitam entender e aplicar corretamente a legislação e jurisprudência eleitorais atualizadas.

 

Por que comprar o livro Recursos Eleitorais 2024?

Comprar "Recursos Eleitorais nas Eleições Municipais 2024: Teoria e Prática em Cível e Criminal" é uma decisão inteligente por várias razões:

1. Abrangência Completa: Este livro oferece uma cobertura completa dos recursos eleitorais, tanto no âmbito cível quanto no criminal, permitindo que você domine todos os aspectos desse importante campo do direito.

2. Atualização e Relevância: Escrito por autores experientes e respeitados no campo jurídico eleitoral, esta terceira edição reflete as mais recentes mudanças na legislação e jurisprudência eleitoral, mantendo-o atualizado e preparado para lidar com os desafios das eleições municipais de 2024.

3. Orientação Prática: Além de abordar a teoria, este livro fornece orientações práticas para evitar erros comuns que podem levar à rejeição dos recursos, ajudando você a maximizar suas chances de sucesso em seus casos.

4. Referência Única: Em um mercado editorial carente de recursos especializados em recursos eleitorais, este livro se destaca como a única fonte abrangente que reúne toda a teoria e prática em um único volume, economizando seu tempo e esforço de pesquisa.

5. Valor Profissional: Para profissionais do direito eleitoral, seja você um promotor, advogado ou juiz eleitoral, este livro é um investimento valioso em seu desenvolvimento profissional e sucesso na prática jurídica.

Em resumo, comprar este livro é investir em conhecimento especializado e prático que irá capacitá-lo a enfrentar os desafios dos recursos eleitorais com confiança e competência, garantindo resultados positivos para seus clientes ou para a justiça eleitoral.

 

 

CAPÍTULO I

RECURSOS ELEITORAIS CÍVEIS

Título I

Teoria Geral dos Recursos Eleitorais Cíveis

  1. Considerações preliminares
  2. Classificação recursal cível eleitoral
  3. Princípios recursais cíveis eleitorais
  4. Fundamentos dos recursos cíveis eleitorais
  5. Pressupostos recursais cíveis eleitorais
  6. O juízo de admissibilidade ou prelibação
  7. A extinção dos recursos
  8. Da preclusão eleitoral
  9. Da irrecorribilidade momentânea das decisões interlocutórias
  10. As características do recurso cível eleitoral
  11. Efeitos do recurso
  12. Dos prazos recursais eleitorais
  13. A prevenção dos recursos cíveis eleitorais
  14. Desistência do recurso eleitoral
  15. Juízo de admissibilidade nos recursos eleitorais
  16. Princípio da fungibilidade
  17. Classificação dos recursos eleitorais

TÍTULO II

Estudo Específico dos Recursos Eleitorais Cíveis

  1. Recurso Inominado Eleitoral

1.1 Cabimento

1.1.1 Outras decisões judiciais em que se pode interpor o recurso inominado

1.2. Interposição e processamento

1.2.1. Prazo

1.2.2. Interposição

1.2.3. Juízo de admissibilidade

1.2.4. Processamento do recurso no juízo a quo

1.2.5. Processamento do recurso no juízo ad quem

1.3. Efeitos

1.3.1. Efeito regressivo

1.3.2. Efeito devolutivo

1.3.3. Efeito suspensivo

1.4 Curiosidades sobre recurso inominado: à luz da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral

  1. Recurso Ordinário Eleitoral Cível

2.1. Recurso ordinário para o Tribunal Superior Eleitoral

2.1.1. Cabimento

2.1.2. Efeitos

2.1.3. Prequestionamento

2.1.4. Processamento do recurso ordinário dirigido ao Tribunal Superior Eleitoral

2.2 Recurso ordinário constitucional ao Supremo Tribunal Federal

2.2.1. Cabimento

2.2.2. Prazo de interposição

2.2.3. Não cabimento de recurso ordinário contra decisão monocrática

2.2.4. Interposição simultânea de recursos

2.2.5. Efeitos

2.2.6. Prequestionamento e repercussão geral

2.2.7. Processamento do recurso dirigido ao Supremo Tribunal Federal

3 Recurso Especial Eleitoral Cível

3.1. Cabimento

3.2. Requisitos de admissibilidade (inciso I, § 4º, art. 121, da CF)

3.2.1. Requisitos de admissibilidade (inciso II, § 4º, art. 121, da CF)

3.3. Do processamento do recurso

3.4. Interposição simultânea de recursos

3.5. Efeitos

3.6. Recurso especial retido nos autos

3.7. Recursos especiais repetitivos

4 Os Embargos de Declaração no Âmbito Eleitoral

4.1. Cabimento

4.2. Os embargos em face de decisão monocrática de relator

4.3. Prazo para interposição

4.4. Do procedimento

4.5. Embargos protelatórios

4.6. Embargos de declaração por terceiro

4.7. O juízo de retratação

4.8. O efeito infringente nos embargos de declaração no âmbito eleitoral

5 Embargos Infringentes Eleitorais

6 O Recurso Extraordinário Eleitoral

6.1. Cabimento

6.2. O prazo

6.3. Repercussão geral

6.4. Prequestionamento

6.5. Interposição e processamento

6.6. Efeitos do recurso

6.7. A impossibilidade de interposição de recurso extraordinário contra acórdão do Tribunal Regional Eleitoral

6.8. A impossibilidade de interposição de recurso extraordinário contra acórdão que verse sobre concessão ou denegação de medida liminar

6.9. A impossibilidade de interposição de recurso extraordinário sem o exaurimento das instâncias recursais colocadas à disposição da parte

6.10. Observações jurisprudenciais dominantes

7 Agravos

8 Recurso Contra a Expedição de Diploma (RCED) ou Ação de Impugnação da Diplomação (AIDI)

8.1. Natureza jurídica

8.2. Previsão legal

8.3. Cabimento

8.4. Legitimidade

8.5. Análise da possibilidade de o juiz indeferir a diplomação ex officio

8.6. Competência

8.7. Do procedimento

8.8. Litispendência/continência

8.9. Prova

8.10. Prazo

8.11. Pedido de desistência

8.12. Decisão/efeitos

8.13. Do recurso

8.14. Observações importantes

Título I

Teoria Geral dos Recursos Eleitorais Criminais

  1. Noções gerais
  2. Natureza jurídica
  3. Princípios aplicáveis aos recursos eleitorais criminais

3.1. Princípio da voluntariedade

3.2. Princípio do duplo grau de jurisdição

3.3. Princípio da livre fundamentação recursal

3.4. Princípio da fundamentação recursal vinculada

3.5. Princípio da taxatividade ou legalidade recursal

3.6. Princípio da conversão

3.7. Princípio da complementariedade das razões recursais

3.8. Princípio da variabilidade recursal

3.9. Unirrecorribilidade recursal (ou singularidade ou unicidade)

3.10. Princípio da fungibilidade recursal

3.11. Princípio da convolação

3.12. Princípio da personalidade

3.13. O princípio da ne reformatio in pejus

3.14. Erro material e reformatio in pejus ex officio

3.15. O princípio da reformatio in mellius

3.16. Princípio tantum devolutum quantum appellatum

3.17. Princípio da dialeticidade dos recursos

3.17.1. Violação ao princípio da dialeticidade dos recursos

  1. Fundamentos recursais
  2. Pressupostos recursais

5.1. Pressuposto formal ou lógico

5.2. Pressuposto legal ou fundamental

5.3. Pressupostos objetivos

5.4. Pressupostos subjetivos

5.5. O juízo de prelibação ou admissibilidade

  1. A extinção dos recursos
  2. Os efeitos recursais

7.1. Efeito devolutivo

7.2. Efeito suspensivo

7.3. Efeito regressivo (parte da doutrina denomina este efeito de “iterativo” ou “diferido”)

7.3.1. Exemplos de recurso com efeito regressivo

7.4. Efeito translativo

  1. A origem dos recursos

8.1. O recurso ex officio (reexame necessário)

8.2. A omissão do recurso de ofício

  1. A indisponibilidade recursal por parte do Ministério Público
  2. Regularidade procedimental
  3. O efeito extensivo do recurso na hipótese de concurso de agentes
  4. Análise de temas interessantes

12.1. O desejo do réu versus o desejo do defensor

12.2. O efeito devolutivo e a extensão aos coautores

12.3. A restrição das razões

12.4. Análise da possibilidade de supressão do julgamento pelo órgão da jurisdição inferior

Título II

Estudo Específico dos Recursos Eleitorais Cíveis

  1. Recurso em Sentido Estrito Eleitoral

1.1. Conceito

1.2. Cabimento

1.3. A interposição e o processamento do recurso

1.3.1. Pressupostos a serem observados no recurso em sentido estrito

1.3.2. Da legitimidade

1.3.3. O subimento do recurso em sentido estrito

1.3.4. Quando o recurso sobe em traslado

1.3.5. O prazo para interposição do recurso em sentido estrito

1.3.6. Processamento do recurso em sentido estrito

1.4. Os efeitos do recurso em sentido estrito

1.5. A prisão decorrente da pronúncia

  1. Apelação Eleitoral ou Recurso Eleitoral Criminal

2.1. Cabimento

2.2. Da legitimidade

2.2.1. A amplitude da legitimidade

2.2.2. Observações interessantes sobre legitimidade

2.3. Interposição e processamento da apelação

2.3.1. Interposição

2.3.2. Juízo de admissibilidade

2.3.3. A remessa dos autos ou traslado ao tribunal ad quem

2.4. O recolhimento do réu à prisão como condição da apelação

2.5. A deserção da apelação

2.6. Dos efeitos

2.6.1. O efeito meramente devolutivo da sentença absolutória

2.6.2. A apelação de sentença condenatória e o efeito suspensivo

2.6.3. O efeito extensivo da apelação

2.6.4. O efeito regressivo

2.6.5. A apelação total e a parcial

2.7. Aspectos processuais

2.7.1. A mutatio libelli e a emendatio libelli em segunda instância

2.7.2. Análise da possibilidade de o Ministério Público apelar em favor do réu

2.7.3. Renúncia e desistência do apelo pelo réu

2.7.4. O defensor dativo e o dever de apelar

2.7.5. O prazo do assistente

2.7.6. O âmbito da apelação do assistente de acusação

2.7.7. O limite dos termos da apelação do Ministério Público

  1. Dos Embargos

3.1. Os embargos de declaração em matéria eleitoral

3.1.1. A natureza jurídica dos embargos de declaração

3.1.2. Cabimento

3.1.3. Prazo para interposição dos embargos de declaração

3.1.4. Da legitimidade

3.1.5. O procedimento

3.1.6. Efeitos

3.1.6.1. O efeito infringente nos embargos de declaração eleitoral

3.1.7. Os embargos como condição para o prequestionamento

3.1.8. Os embargos dos embargos

3.1.9. Os limites aos embargos de declaração

3.2. Embargos infringentes e de nulidade

3.2.1. Previsão legal

3.2.2. Cabimento dos embargos infringentes e de nulidade na seara eleitoral

3.2.3. A diferença entre embargos infringentes e embargos de nulidade

3.2.4. Os requisitos dos embargos infringentes ou de nulidade

3.2.5. Legitimidade para interpor os embargos infringentes ou de nulidade

3.2.6. O prazo para interpor os embargos infringentes ou de nulidade

3.2.7. Os efeitos dos embargos infringentes ou de nulidade

3.2.8. A extensão dos embargos infringentes ou de nulidade

3.2.9. Interposição e processamento

3.3. Dos embargos de divergência

3.3.1. Cabimento

3.3.2. Processamento dos embargos de divergência

  1. Recurso Ordinário Eleitoral Criminal

4.1. Recurso ordinário para o Tribunal Superior Eleitoral

4.1.1. Cabimento

4.1.2. Efeitos

4.1.3. Prequestionamento

4.1.4. Processamento do recurso ordinário dirigido ao Tribunal Superior Eleitoral

4.2. Recurso ordinário constitucional ao Supremo Tribunal Federal

4.2.1. Cabimento

4.2.2. Prazo de interposição

4.2.3. Interposição simultânea de recursos

4.2.4. Efeitos

4.2.5. Prequestionamento

4.2.6. Processamento do recurso dirigido ao Supremo Tribunal Federal

  1. Recurso Especial Eleitoral Criminal

5.1. Noções gerais

5.2. Requisitos de admissibilidade

5.2.1. Requisitos do inciso I, § 4º, art. 121, da Constituição Federal

5.2.2. Requisitos do inciso II, § 4º, art. 121, da Constituição Federal

5.3. Do processamento do recurso

5.3.1. O juízo de admissibilidade do recurso especial

5.4. Do prazo

5.5. Interposição simultânea de recursos

5.6. Efeitos

  1. O Recurso Extraordinário Eleitoral Criminal

6.1. Cabimento

6.2. O prazo

6.3. Repercussão geral

6.4. Prequestionamento

6.5. Interposição e processamento

6.5.1. Interposição

6.5.2. Juízo de admissibilidade

6.5.3. Processamento do recurso no tribunal a quo

6.5.4. Processamento no Supremo Tribunal Federal

6.6. As súmulas e o recurso extraordinário

  1. Agravo em Execução Eleitoral

7.1. Previsão legal

7.2. As hipóteses de cabimento

7.3. O procedimento do agravo em execução

7.4. O efeito do agravo em execução

7.5. O prazo para interposição do agravo em execução

7.6. O juízo de retratação no agravo em execução

7.7. Legitimidade para propor agravo em execução

7.8. O recurso em sentido estrito versus o agravo em execução e o princípio da fungibilidade

  1. Carta Testemunhável Eleitoral

8.1. Noções gerais

8.2. Cabimento

8.3. Terminologias

8.4. O procedimento, a direção do recurso e o prazo

8.5. O recibo da petição

8.6. As opções do tribunal ao julgar a carta testemunhável

8.7. O efeito da carta testemunhável

8.8. A natureza jurídica da carta testemunhável

8.9. A subsidiariedade recursal

  1. Correição Parcial Eleitoral

9.1. Noções gerais

9.2. Cabimento

  1. Revisão Criminal Eleitoral

10.1. Previsão legal

10.2. As hipóteses de cabimento

10.3. A revisão criminal e condições de elegibilidade

10.4. Interposição e processamento da revisão criminal eleitoral

10.4.1. Aspectos gerais

10.4.2. Interposição

10.4.3. Processamento e julgamento

  1. Mandado de Injunção Eleitoral

1.1. Previsão legal

1.2. Legitimidade

1.3. Competência

1.4. Efeitos da decisão

1.5. Recurso

  1. O Mandado de Segurança Eleitoral

2.1. Competência

2.2. Prazo

2.3. Legitimidade

2.4. Mandado de segurança individual

2.5. Mandado de segurança coletivo

2.6. Procedimento

2.7. Sentença/recurso

2.8. Observações à luz da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral

  1. Habeas data Eleitoral

3.1. Previsão legal

3.2. Observações

3.3. Interesse de agir

3.4. Competência

3.5. Procedimento

  1. Habeas Corpus no Direito Eleitoral

4.1. Cabimento

4.2. Legitimidade

4.3. Litispendência

4.4. A competência para julgar o habeas corpus eleitoral

4.5. Interposição e processamento do habeas corpus eleitoral

4.6. Observações à luz da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral

  1. Ação Rescisória Eleitoral

5.1. Natureza jurídica

5.2. Previsão legal

5.3. Considerações acerca das condições de elegibilidade e as inelegibilidades

5.4. Prazo de interposição

5.5. Legitimidade

5.6. Competência para julgar a ação rescisória

5.7. Análise acerca da possibilidade de interposição de ação rescisória contra decisões que versem sobre condição de elegibilidade

5.8. Análise da possibilidade de concessão de tutela antecipada em sede de ação rescisória

5.9. Procedimento

5.10. Decisão e seus efeitos

5.11. Recursos

5.12. Observações jurisprudenciais eleitorais dominantes

Referências

Francisco Dirceu Barros
Mestre em Direito. Procurador-Geral de Justiça do Estado de Pernambuco (2017 até janeiro 2021), Subprocurador Geral Jurídico (2021 até 2022), Vice-Presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União – CNPG, Região Nordeste (2019/2020), Vice-Presidente do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC-2019/2021), Coordenador do Grupo Nacional de Apoio às Coordenadorias Eleitorais(2019/2020), Promotor de Justiça Criminal e Eleitoral durante 24 anos. Professor do curso de pós-graduação da Escola Superior do Ministério Público de Pernambuco, Professor do curso de pós-graduação em Processo Penal no CERS, Professor do curso de mediação de conflitos da Escola Superior do Ministério Público do Ceará/UNIFOR, ex-Professor universitário, ex-Professor da EJE (Escola Judiciária Eleitoral) no curso de pós-graduação em Direito Eleitoral, com vasta experiência em cursos preparatórios aos concursos do Ministério Público e Magistratura, lecionando as disciplinas de Direito Eleitoral, Direito Penal, Processo Penal, Legislação Especial e Direito Constitucional. Ex-Colunista da Revista Prática Consulex, seção “Casos Práticos”; Colaborador da Revista Jurídica Jus Navigandi; Colaborador da Revista Jurídica Jus Brasil; Colaborador da Revista Síntese de Penal e Processo Penal; Colaborador do Blog Gen Jurídico; Colaborador do Blog “Eleitoralistas”; Colaborador do Blog “Novo Direito Eleitoral”. Autor de diversos artigos em revistas especializadas. Escritor com 74 (setenta e quatro) livros lançados, entre eles: Direito Eleitoral, 14ª edição, Editora Método; Tratado Doutrinário de Direito Penal, Editora Mizuno, Prefácios: Fernando da Costa Tourinho Filho, José Henrique Pierangeli, Rogério Greco e Julio Fabbrini Mirabete; Tratado Doutrinário de Processo Penal, Editora Mizuno, Prefácios: Rogério Sanches e Gianpaolo Poggio Smanio; Recursos Eleitorais, 2ª Edição, Editora Mizuno; Direito Eleitoral Criminal, 1ª Edição, Tomos I e II, Editora Juruá; Manual do Júri, 4ª Edição, Editora Mizuno, Prefácio: Edilson Mougenot Bonfim; Manual de Prática Eleitoral, 5ª edição, Prefácio: Humberto Jacques Medeiros, Vice-Procurador-Geral Eleitoral, Editora Mizuno; “Tratado do Homicídio”, Editora Fórum; Tratado Doutrinário de Direito Penal, volumes I, II e III, Editora Mizuno. Coautor e um dos coordenadores do livro “Acordo de Não Persecução Penal”, Editora Juspodivm; Coautor dos livros: 1) “Feminicídio”, Editora Mizuno, Prefácio: Laurita Vaz, Ministra do STJ; 2) “Teoria e Prática do Acordo de Não Persecução Penal”, Editora Mizuno; 3) “(In)Fidelidade Partidária”, Editora Mizuno, Prefácio: Airyes Britto, ex-Ministro do STF. Autor do maior estudo de direito penal consensual já realizado no Brasil, o livro: “Acordos Criminais”, Prefácio: Og Fernandes, do STJ, Editora Mizuno; e autor dos livros: “Krisis, oportunidades em tempos de adversidades” e “Princípios Bíblicos Para Superar Crises”,.

 

Janiere Portela Leite Paes

Bacharela em Direito pela UNIFG (2013); especialista em Direito Constitucional pela Universidade UNIDERP/ANHANGUERA (2015) e em Revisão prática de textos pela UNYLEYA (2018); cursando Licenciatura em Letras, pela UNOPAR. Docente do curso de Pós-graduação em Direito Eleitoral pela Faculdade Baiana de Direito e servidora da Justiça Eleitoral. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional e Direito Eleitoral, atua principalmente nos seguintes temas: Ações eleitorais, Recursos eleitorais e Criminal eleitoral. Coautora de obras de Direito Eleitoral, pelas Editoras J.H Mizuno e Juruá. Atua, ainda, como revisora de textos autônoma.